Projeto reedita Mapa Etno-Histórico de Nimuendajú e cria plataforma virtual

dsc_7959

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), desenvolve projeto que reeditará em livro e em plataforma digital o Mapa Etno-Histórico de Nimuendajú. Produzido há 70 anos pelo renomado etnólogo alemão Curt Nimuendajú, o mapa documenta a diversidade social e cultural do território nacional e adjacências, reunindo mais de 900 referências bibliográficas e etnográficas sobre os povos indígenas, desde o século XVI até meados do século XX.

O projeto Plataforma Interativa de Dados Geo-Históricos, Bibliográficos e Linguístico-Culturais da Diversidade Linguística no Brasil, visa tornar o mapa etno-histórico mais acessível a pesquisadores e ao público em geral, além de transformá-lo numa ferramenta moderna, baseada nas novas tecnologias da informação.

O mapa já foi editado em outras versões impressas. A primeira, no ano de 1982, pela Fundação Pró-Memória, que, mais tarde viria a compor a estrutura do Iphan. A segunda edição ocorreu por meio da parceria entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Ministério da Educação. Ambas se encontram esgotadas.

A reedição do Mapa Etno-Histórico e o desenvolvimento de uma plataforma digital é a estratégia do Iphan para promover a política de promoção e preservação da diversidade linguística brasileira, conforme o Decreto nº 7.387, de 9 de dezembro de 2010, que instituiu o Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL).

Primeiro Passo 
Para dar início ao processo de produção do projeto, em maio deste ano, uma equipe do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI), do Iphan, esteve no Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém (PA), para realizar a documentação fotográfica do documento original do Mapa, que foi produzido em 1943 especialmente para aquele Museu.

A previsão é que a publicação seja lançada no segundo semestre de 2016, enquanto a plataforma digital será disponibilizada no início de 2017, como uma das ações relacionadas aos 80 anos do Iphan.

Mapa Etno-Histórico 
Nascido Curt Unckel na cidade alemã de Jena, Nimuendajú (1883-1945) foi batizado assim pelos guaraní em suas vivências com tribos indígenas pelo Brasil. O etnólogo foi um dos principais pesquisadores da diversidade social e cultural da Amazônia. Além de vasta obra intelectual, produziu sob encomenda três versões do mapa. A primeira, para o Smithsonian Institute, de Washington (EUA), a segunda para o Museu Emílio Goeldi, de Belém (PA), e a terceira, que se encontra no Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ). O Projeto de digitalização do Mapa prevê disponibilizar para o público arquivos contendo a reprodução em alta definição dessas duas versões do mapa, que se encontram nos arquivos desses dois museus brasileiros.

Fonte: Portal Iphan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s